Arraia em Abril, mesa posta a mil


"Arraia em Maio, tumba à porta" diziam os saloios de outrora, convencidos por algum infeliz acidente devidamente aumentado pelo passar das gerações ou em conluio avisado para a preservação das espécies.

Por via das dúvidas, foi a jagoz Mostra Gastronómica de Raia realizada em Abril e por boas mãos trabalhada: um fim-de-semana, 15 restaurantes aderentes e dois dias de desgustações e show cookings no Mercado Municipal da Ericeira.

Correu bem, como vem sendo hábito neste conjunto de iniciativas que, em boa hora, a Câmara Municipal de Mafra idealizou, em conjunto com a Junta da Ericeira e Nuno Nobre Consultoria.

Destaque para uma das preparações mais emblemáticas e mais exclusivas da vila - a raia seca.

Com a devida vénia, transcrevo o que sobre a sua preparação escreveram, em 2006, Isabel Oliveira e Hélder Martins, no seu livro "Ericeira, Cultura Gastronómica":

"Prato típico de Inverno que é preparado de Verão. Lava-se bem a raia e limpa-se de tripas. Dão-se uns golpes na parte mais larga, parte branca, põe-se em sal durante 8 dias. Após esse tempo é posta a secar ao Sol em cordas (durante a noite recolhe-se). Quando estiver bem seca, sem humidade, é colocada em palha dentro de um cesto, para conservar. Para cozer, é demolhada como o bacalhau e acompanha com batatas, cenouras, brócolos cozidos e um ovo por pessoa se for do seu agrado."

Era emblema de uma Ericeira popular e principalmente piscatória que o tempo, a fuga para a capital, o turismo e a gentrificação recente atenuaram, a visão da raia seca pendurada em estendais, qual roupa interior marítima, a qual que poderá ser de alguma forma recuperada caso aqui vença esta ideia de recuperação de especificidades gastronómicas como forma de distinção turística e chamamento de mais visitantes.

Seca ou fresca, as preparações mais frequentes deste peixe são, no entanto, a raia alhada ou o pitéu de raia (refogado de cebola e alho, pimentão doce, ervilhas e, finalmente, o peixe).

Entre restaurantes e show cookings, aqui ficam algumas propostas que vale a pena experimentar.

Raia seca

Depois de seca, a raia apresenta características que permitem utilizar as mesmas técnicas de preparação que são utilizadas tradicionalmente no bacalhau. Aqui, é frigida num pouco de azeite, depois de desfiada.

Caldeirada de raia

Raia frita

Raia cozida com Molho pitau

Raia seca desfiada e quenelle de açorda
Chef Ana Alves Pereira (Nita)

Comentários

Nos últimos 30 dias...